Day

20170601-ADALBERTO-DAY-A

Adalberto Day, 64, nasceu em Blumenau. A mãe era costureira e o pai, tecelão e bombeiro. Ambos trabalhavam na Empresa Industrial Garcia e a família vivia na Rua Almirante Saldanha da Gama, bairro Progresso, numa das casas populares destinadas a funcionários da indústria. Beto, como é conhecido, tem uma irmã mais velha e um irmão mais novo. Estudou na Escola São José, atual Celso Ramos, no Pedro II e no Colégio Vale do Itajaí. Fez o curso técnico em Contabilidade e se formou em Ciência Sociais na Universidade Regional de Blumenau (Furb). A infância foi “extremamente rica e maravilhosa”. Quando não estava na escola, vivia entre os pés de goiaba e pitanga, pescando ou jogando futebol e pião na rua. Na adolescência e juventude jogava futebol, basquete e vôlei e ajudava nos serviços domésticos, como serrar e cortar lenha, além de cuidar das galinhas que eles criavam. Conheceu a futura esposa em uma festinha e se casou aos 23 anos. O casal foi morar na Rua Progresso, onde ficou por oito anos, e hoje está na Rua Julio Heiden há mais de três décadas. Eles tiveram duas filhas e estão juntos há 41 anos. O primeiro emprego ele conquistou aos 15 anos na mesma empresa onde trabalharam o pai e a mãe. Começou como auxiliar de depósito, foi para o faturamento e depois para o departamento pessoal. Foram 25 anos na Empresa Garcia, que depois ganhou o nome Artex. Atuou como professor nas escolas Pedro II, no Canto do Rio, e na Padre José Maurício. Também dava palestras e trabalhou na empresa de um amigo que lidava com peças de carros. Mesmo com tantas atividades, Adalberto é mais reconhecido pelas pesquisas que faz desde os sete anos de idade sobre a história do bairro Garcia e de Blumenau. Começou com a curiosidade sobre a origem dos nomes das localidades e se aprofundou lendo, conversando e reunindo um acervo de fotos, documentos e objetos históricos. Acervo que em breve deve ser colocado ao alcance do público. Também mantém um blog onde publica os resultados das pesquisas que ainda faz. Tudo com o apoio e a colaboração da esposa. Apesar de um câncer que superou recentemente, ele quer viver muitos anos e se sente motivado porque está convicto de que ainda tem muito a fazer.

Data da foto e entrevista: 1º de junho de 2017
Ouça abaixo um pouco da voz de Adalberto

4 comentários sobre “Day

  1. Obrigado Pancho pela gentil entrevista que muito nos envaidece.
    Parabéns pelo seu brilhante trabalho como jornalista.
    Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau.

    Curtir

  2. Dependendo do ponto de vista que se analisa, o Adalberto é uma pessoa de muita luta e garra. O AG do Garcia só tem Est á configuração, localiza-se onde está e tem este nome graças a sua intervenção e de alguns amigos. Para os políticos só ficaram aparecer nas fotos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s